quinta-feira, outubro 25, 2007

Proposta de trabalho n.º 3

Perguntas - tipo do GRUPO I

Não sei se é sonho, se realidade,
Se uma mistura de sonho e vida,
Aquela terra de suavidade
Que na ilha extrema do sol se olvida.
É a que ansiamos. Ali, ali
A vida é jovem e o amor sorri.

Talvez palmares inexistentes,
Áleas longínquas sem poder ser.
Sombra ou sossego dêem aos crentes
De que essa terra se pode ter.
Felizes, nós? Ah, talvez, talvez,
Naquela terra, daquela vez.

Mas já sonhada se desvirtua,
Só de pensá-la cansou pensar,
Sob os palmares, à luz da lua,
Sente-se o frio de haver luar.
Ah, nessa terra também, também
O mal não cessa, não dura o bem.

Não é com ilhas do fim do mundo,
Nem com palmares de sonho ou não,
Que cura a alma seu mal profundo,
Que o bem nos entra no coração.
É em nós que é tudo. É ali, ali,
Que a vida é jovem e o amor sorri.

- Fernando Pessoa -

Depois de uma leitura atenta, responda, de forma clara e correcta, às questões que se seguem.
1. Para caracterizar o sonho, o sujeito poético utiliza múltiplos símbolos. Assinale a alínea que considera correcta.
a) "terra de suavidade", "Áleas longínquas", "sossego" e "ilhas do fim do mundo".
b) "terra de suavidade", "Áleas longínquas", "palmares" e "ilha extrema do Sul".
c) "nesta terra", "Áleas longínquas", "coração" e "palmares".
d) "terra de suavidade"', "palmares", "ilhas do fim do mundo" e "ilha extrema do Sul".

2. Divida o texto nos seus momentos lógicos, justificando a sua proposta.

3. “O sujeito lírico revela a sua descrença na existência do mundo paradisíaco.”
3.1. Comprove esta afirmação com expressões textuais.

4. O sentido do advérbio "Ali" na última estrofe aufere um sentido diverso do que havia assumido na primeira.
4.1. Explicite-o.
4.2. Diga como o sujeito poético revela conhecer o local da felicidade e como conscientemente a dúvida sucedeu à certeza.

5. Indique três recursos expressivos presentes no poema e comente o seu valor.

6. Explicite a importância do conector "Mas", no contexto global do poema.

7. Refira, agora, o tema do poema.

8. "Só de pensá-la cansou pensar" (v.14)
8.1. Num texto de 100 a 200 palavras, comente o verso transcrito fazendo uma analogia com outros poemas estudados.



Perguntas-tipo do GRUPO III

1. Apresente o plano-guia da seguinte proposta de produção escita:
2. Num texto bem estruturado, com um mínimo de duzentas e um máximo de trezentas palavras, apresente uma reflexão sobre aquilo que é afirmado no excerto a seguir transcrito, relativamente à influência da arte nas pessoas. Para fundamentar o seu ponto de vista, recorra, no mínimo, a dois argumentos, ilustrando cada um deles com, pelo menos, um exemplo significativo.

Nós também somos «feitos» pelos livros que nos marcaram, pelos
filmes que vimos e pelas músicas de que gostamos.

Manuel Gusmão, «As Palavras Fazem o Mundo», in Ler, n.º 54, 2002

Observações
1. Para efeitos de contagem, considera-se uma palavra qualquer sequência delimitada por espaços em branco, mesmo quando esta integre elementos ligados por hífen (ex.: /dir-se-ia/). Qualquer número conta como uma única palavra, independentemente dos algarismos que o constituam (ex.: /2007/).
2. Relativamente ao desvio dos limites de extensão indicados – um mínimo de duzentas e um máximo de trezentas palavras –, há que atender ao seguinte:
– a um texto com uma extensão inferior a oitenta palavras é atribuída a classificação de 0 (zero) pontos;
– nos outros casos, um desvio dos limites de extensão requeridos implica uma desvalorização parcial (até cinco pontos) do texto produzido. (in exame de Português 2007 - 2.ª fase)
Adaptação do "Preparação para testes e Exame Nacional de Português" da Sebenta Editora

6 comentários:

Libelinha* disse...

Boa Noite, caro Professor.
Não sou sua aluna, porém, tive a alegria de encontrar a sua página na "Grande Rede" a que chama de internet. O seu blog será uma verdadeira ajuda para o teste que terei na segunda. Contudo, e porque é criticando que as coisas melhoram, gostava que considerasse se seria benéfico colocar algun tópicos de solução, como os presentes nos critérios do exame. Só porque Há vezes e que ficamos apagadinhos numa pergunta.

Cumprimentos,
Vera

Libelinha* disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Professor disse...

Olá Vera
Vi o seu comentário agora,diga-me quais as questões que tem dúvida que eu envio-lhe os tópicos de resposta para o seu mail.

Professor: Paulo Mota

P.S.: Este blog foi criado para os meus alunos e eu não coloco as soluções das propostas de trabalho para os obrigar a pensar e a trabalhar.

P.S. Espero que ainda vá a tempo.

Libelinha* disse...

Olá Professor,
O teste foi hoje à tardinha e só vi agora. Mas não se preocupe, o blog só por si foi uma ajuda. Por outro lado, eu já havia pensado nessa questão de incompatiblidade alunos-soluções. De qualquer das formas, vou adicionar o seu blog à lista de favoritos no meu, pois muito provavelmente continuarei a dar a mesma matéria que a sua turma. Contudo, só o farei perante a sua autorização, como é óbvio.

Saudações,
Vera

Professor disse...

ok. Pode adicionar e perguntar o que quiser quando quiser, estamos na blogosfera

Libelinha* disse...

Obrigado.
Se, por cuirosidade, quiser passar pelo Sítio da Libelinha, está mais que convidado. Vou lá postando os textos oritentados e livres. *